Por Cintia Salomão 

A startup Goomer nasceu em 2014 como uma plataforma operacional para apoiar os restaurantes no atendimento presencial. Seus cardápios em totens de autoatendimento ou por meio de QR Code dentro dos restaurantes sempre apoiaram grandes redes de gastronomia, como Jerônimo, Spoleto, KFC, Madero e Gendai. Antes da pandemia da Covid-19, quando o delivery ainda não era tão determinante no faturamento dos estabelecimentos, a empresa chegava a transacionar 2,4 milhões de pedidos por mês em redes.

DESAFIO 

A pandemia atingiu duramente o setor de gastronomia em todo o mundo, e não poderia ser diferente entre os parceiros brasileiros da Goomer. Logo após o decreto de fechamento do comércio, em março de 2020, a empresa viu o movimento de pedidos dentro do salão de bares e restaurantes despencar cerca de 60%, em questão de dias, chegando a zerar em uma semana.

“Os clientes precisavam vender e não podiam depender apenas do iFood e Uber Eats, que cobram alta taxa de comissão, sem a possibilidade de relacionamento com o consumidor. Criamos em sete dias uma plataforma que pudesse beneficiar o setor como um todo e fosse simples de ser utilizada” 

Lívia Prado, Chief Revenue Officer (CRO) da Goomer 

Os clientes da empresa logo pediram auxílio à startup para viabilizar e impulsionar o serviço de delivery. Afinal, precisavam vender online e não podiam depender apenas das plataformas de marketplace − como iFood e Uber Eats. Além da alta taxa de comissão (de 10% a 30%), tais plataformas não oferecem a possibilidade do relacionamento com o consumidor final, o que não se encaixa na estratégia de todos os estabelecimentos. O setor comercial também precisava oferecer soluções, pois diversos clientes pediram o congelamento do pagamento das mensalidades das soluções in store por conta das incertezas do mercado.

A Goomer precisava dar assistência aos seus clientes naquele momento tão delicado no início da pandemia. Era preciso desenvolver alguma solução tanto tecnológica quanto comercial o mais rápido possível.

SOLUÇÃO 

Com seu know-how em tecnologia especialmente voltada para o food service, a Goomer conseguiu criar, em questão de dias, uma ferramenta para que os estabelecimentos de gastronomia não dependessem das plataformas consolidadas para vender refeições.

“Construímos, em sete dias, uma solução tecnológica que pudesse beneficiar o setor como um todo e fosse simples de ser utilizada. Foi aí que nasceu a Goomer Go. Em dois meses, já tínhamos 20 mil negócios alimentícios cadastrados na plataforma, nos tornando uma das cinco maiores plataformas de delivery do país”, diz a CRO (Chief Revenue Officer) da Goomer, Lívia Prado.

A plataforma oferece uma conexão direta com as redes sociais dos restaurantes. Os estabelecimentos divulgam um link em suas páginas no Facebook ou no Instagram. Os clientes, então, preenchem um cadastro e acessam o cardápio digital do local, sem a necessidade de baixar aplicativos. O consumidor faz o seu pedido, que é enviado automaticamente para o WhatsApp do restaurante. Uma das grandes vantagens da plataforma é que ela abre um chat direto com o consumidor. O restaurante consegue atualizar o status da entrega na plataforma. Pode, inclusive, enviar para o cliente fotos e vídeos do produto. Tais recursos contribuem para criar um sentimento de proximidade com o consumidor.

A ferramenta viralizou e a Goomer simplesmente virou o jogo na pandemia.

— Naquele cenário, nossa primeira previsão era reduzir em mais de 70% o tamanho do time para sobreviver. Porém, conseguimos virar o jogo com a criação do GoomerGo, e o crescimento viral dele — afirma a executiva.

Comunicação direta entre consumidor e restaurante está entre as vantagens da plataforma

A ferramenta tecnológica, sozinha, não garantiria o sucesso. A proximidade dos clientes revelou-se fundamental como estratégia comercial naquele momento que testou as empresas.

— Durante este período incerto, nossa estratégia foi manter nossos clientes próximos da gente. Em dois meses, dos 20 mil cadastros na plataforma GoomerGo até aquele momento, nosso time conversou com cerca de quatro mil para colher feedbacks e ajustar a experiência de cadastro, ativação e engajamento inicial. Conseguimos também traçar parcerias com grandes empresas da indústria de alimentos e bebidas como a Heineken e a Kibon, que também desejavam incentivar e manter o mercado aquecido — acrescenta Lívia Prado.

Com o case da pandemia, os gestores da Goomer reiteram que a missão da empresa de apoiar bares e restaurantes em sua transformação digital, oferecendo uma experiência única para os clientes, foi confirmada. A expectativa para 2021 é aumentar em 300% o faturamento em relação a 2020, inclusive dobrando a quantidade de parceiros.

RESULTADOS 

− Em 2020, ano de grande dificuldade para restaurantes, a plataforma GoomerGo proporcionou uma economia de R$ 50 milhões aos estabelecimentos brasileiros cadastrados, pela ausência de taxas de comissão.

− Nos primeiros dois meses de lançamento, a plataforma GoomerGo já reunia 20 mil negócios alimentícios cadastrados na plataforma.

− A plataforma GoomerGo reúne atualmente mais de 110 mil estabelecimentos do setor food service, em 2.700 cidades brasileiras.

− Lançada há pouco mais de um ano, a GoomerGo atualmente está entre as cinco maiores plataformas de delivery do país.

− A Goomer transacionou mais de 1 bilhão de reais em vendas em 2020, em plena pandemia, somando todas as soluções de autoatendimento oferecidas pela empresa.