Por Cintia Salomão 

No primeiro semestre de 2020, quando a pandemia da Covid-19 chegou ao Brasil, a Sympla era a maior plataforma de eventos do Brasil, com venda de ingressos para shows, competições esportivas, apresentações circenses e espetáculos teatrais. Fundada em 2012 pelos irmãos Marcelo e Rodrigo Cartacho e por David Tomasella, a startup mineira hoje conta com 400 funcionários. Com seis anos de operação, já havia publicado 220 mil eventos e vendido 18 milhões de ingressos para eventos realizados em mais de duas mil cidades brasileiras. Após receber um aporte de R$ 13 milhões da Movile no ano de 2016, a empresa adquiriu a concorrente Ingresso Rápido.

DESAFIO 

A partir de março de 2020, devido à necessidade de isolamento social, a grande maioria dos eventos presenciais programados para o primeiro semestre do ano foi cancelada no país. Até então, uma quantidade de 32 mil eventos simultâneos era cadastrada na plataforma, número que foi reduzido de maneira drástica. Calcula-se uma perda na ordem de dois milhões no número de ingressos comercializados no começo da quarentena. Era preciso encontrar rapidamente soluções para que a empresa sobrevivesse e viabilizasse suas altas vendas durante a pandemia.

SOLUÇÃO 

Assim como outras empresas, a Sympla já mantinha em desenvolvimento projetos virtuais que iam além do formato predominante do negócio: o de venda de ingressos para eventos presenciais. Era preciso focar mais do que nunca em tais propostas.

— Costumamos dizer aqui na Sympla que a pandemia não fez com que fôssemos obrigados a criar nada novo, mas fez com que acelerássemos projetos inovadores que já estavam em desenvolvimento. Assim, fomos capazes de lançar, durante a pandemia, dois novos produtos que facilitavam a criação de conteúdos no ambiente online. O Sympla Streaming, nossa plataforma de transmissões ao vivo, e o Sympla Play, nossa plataforma de conteúdos on demand — revelou à CASE Valéria Molina, Head de Marketing da Sympla.

A plataforma do Sympla Play é100% self-service e permite que o usuário não apenas crie e disponibilize seus conteúdos: ele também pode realizar e controlar vendas, gerenciar os compradores, divulgar e fazer toda a gestão do seu conteúdo digital por lá. Já no Sympla Streaming o usuário cria seu próprio evento online para até 300 participantes, com os quais é possível interagir por meio da integração com o aplicativo Zoom. A ferramenta está integrada com outras plataformas, permitindo a gestão da venda de ingressos, a divulgação e o planejamento do evento.

Muitos produtores entenderam que, com o virtual, quebraram a barreira da localização e disponibilizaram seus produtos para um público muito maior. Acreditamos que a tendência é que o mercado migre para um modelo híbrido em que todas as possibilidades co-existam” 

Valéria Molina, Head de Marketing da Sympla 

Os gestores vislumbraram que, mesmo em casa, as pessoas iriam continuar à busca de eventos de alto nível. A diferença seria apenas o formato. O tempo mostrou que a ideia estava certa. Porém, para viabilizá-la, reforçar a comunicação com os parceiros foi fundamental.

— A nossa grande aposta foi acreditar que as pessoas continuariam buscando a Sympla quando procuravam por conteúdo de qualidade, independentemente do formato. E também nos aproximamos muito dos parceiros para mostrar para eles que a migração para o ambiente online era uma possibilidade, e que estávamos prontos para auxiliá-los neste processo.

Atualmente, através da plataforma, sociedades, associações e até universidades realizam ou transmitem seus simpósios , workshops, webinars, painéis, minicursos e debates. Os temas podem ser sobre direito, medicina, empreendedorismo, engenharia, música e bem-estar, entre muitos outros. O Sebrae, por exemplo, realiza programas digitais e gratuitos voltados para categorias de lojistas, enquanto a OAB transmite webinars sobre temas específicos do mundo jurídico, como conciliação.

A responsável pelo marketing da Sympla explica que o modelo de negócios da empresa não mudou — e continua sendo a produção de conteúdo de qualidade.

— O que mudou foi o formato em que as pessoas consomem este conteúdo. Se antigamente elas procuravam eventos presenciais, agora elas vêm buscar, além dos eventos presenciais que estão de acordo com as regras restritivas, eventos online, seja no formato ao vivo, seja no formato on demand — frisa, esclarecendo que o Sympla Streaming e o Sympla Play atendem quem busca conteúdo de todas as formas possíveis, já que as “plataformas conversam e oferecem aos produtores de conteúdo a possibilidade de oferecer material nos mais diferentes formatos”.

Com o retorno da realização de alguns eventos, a Sympla passou a apoiar as medidas preventivas para evitar o contágio pelo coronavírus. Somente eventos que seguem os protocolos sanitários podem ser divulgados na plataforma, que também recebe denúncias sobre o não cumprimento dos mesmos.

— As atrações que não estão em conformidade com as legislações locais, quando identificadas, são removidas do portal. Além disso, possuímos um Canal Oficial de Denúncias disponível em todas as páginas de eventos, e os usuários podem apontar aqueles que não estão cumprindo os protocolos vigentes para que as providências necessárias sejam tomadas — esclarece Valéria Molina.

O formato dos dois novos produtos tem sido buscado por muitos produtores, notaram os gestores da Sympla. As ferramentas também servem de apoio a quem segue percursos individuais de estudo.

— Com o lançamento do Sympla Streaming e do Sympla Play, acreditamos muito em uma jornada de um consumidor que comece, por exemplo, fazendo um curso em que ele estuda sozinho, de tempos em tempos, participando de uma live para discussão, dúvidas e para interação entre os participantes. Em um cenário sem pandemia, no final do curso, pode haver um evento presencial para relacionamento ou encerramento do projeto.

Os produtores também acabam saindo em vantagem do ponto de vista do alcance.

— Sabemos que muitos produtores entenderam que, com o virtual, quebraram a barreira da localização e conseguiram disponibilizar seus produtos para um público muito maior e que não poderia estar fisicamente no local. Acreditamos que a tendência é que o mercado migre para um modelo híbrido em que todas as possibilidades co-existam — conclui a Head de Marketing da Sympla, Valéria Molina.

RESULTADOS 

– Mais de 20 mil eventos online e presenciais estão cadastrados na plataforma

– Cerca de dois milhões de ingressos para eventos são vendidos mensalmente

– A mescla de eventos presenciais e virtuais permitiu o alcance de números semelhantes aos do período pré-pandemia