Por Cintia Salomão Empresa referência na área de Recursos Humanos, a Radix Engenharia e Software, situada no Rio de Janeiro, conta atualmente com 800 funcionários e atua em 15 países, além de seus vários escritórios no Brasil. Com uma baixa taxa de turnover, a empresa desenvolvedora de projetos de alto conteúdo tecnológico destaca-se pela formação interna de lideranças. A diretora de Gente e Gestão da Radix, Daniella Gallo, explica o propósito de se usar a palavra “Gente” em vez do clássico termo “Recursos Humanos”:

“Existe uma razão. Praticamos uma gestão focada no desenvolvimento das pessoas. Desde a fundação da empresa, entendemos isso como uma decisão estratégica na cultura organizacional. Afinal, é através das pessoas que conseguimos os melhores resultados. É o que faz valer a pena; sempre acreditamos nisso. Sem dúvida alguma, é o nosso diferencial”, reitera. Conversamos com Daniella Gallopara nos revelar quais são as estratégias primordiais usadas pela empresa para responder aos desafios atuais de crescimento apoiado na formação de líderes. E o resultado foi tão bom que a empresa conquistou o primeiro lugar no Brasil no Great Place to Work de 2020.

DESAFIO

Em 2020, em plena pandemia, a empresa obteve um forte crescimento. A Radix, que contava com 550 profissionais, passou a um total de 800 em apenas seis meses. Tudo isso em meio ao desafio do trabalho remoto, considerado superado, dentro do conceito Radix everywhere.

“Em 2021, temos o desafio de crescer 30% em volume de negócio. E tal crescimento está fortemente ligado à presença e à formação de líderes que sustentem esse crescimento, com projetos maiores e mais complexos”

Daniella Gallo, diretora de Gente e Gestão da Radix

O modelo do home office foi adotado com sucesso por meio da presença dos “radixianos” em todo o país. “Todas as empresas estão passando pelo desafio do trabalho remoto, o qua l já superamos. Na Radix temos ‘radixianos‘ espalhados por todo o Brasil. Desde que começou a pandemia, quando colocamos todos em trabalho remotoda noite para o dia, tivemos um retorno muito positivo. Entendemos que o trabalho remoto será uma realidade daqui para a frente”, avalia Daniella. O maior e mais atual desafio da Radix é crescer 30% em um mercado que ainda enfrenta os problemas da crise econômica agravada pela Covid-19 – sempre apoiada na formação de líderes internos. Afinal, são os líderes que dão sustentação sólida a tal crescimento e a projetos mais complexos. A nova meta vem sendo perseguida após a empresa conseguir superar um primeiro desafio, que surgiu em 2020: passar de 550 para mais de 800 profissionais contratados em apenas seis meses. Tudo isso mantendo a estratégia de valorizar lideranças internas.

“Em 2021, temos uma meta bastante arrojada: crescer 30% em termos de volume de negócio, o que representa um aumento da ordem de 25% em equipe. Esse é o nosso maior desafio no momento. E tal crescimento está fortemente ligado à presença e à formação de líderes que sustentem esse crescimento, com projetos maiores e mais complexos”, resume a diretora.

SOLUÇÃO

De que forma uma empresa consegue bater metas de crescimento por meio da formação sólida de líderes? A gestão precisa, antes de tudo, realizar um trabalho interno forte e bem feito de captação e atração de talentos. Afinal, é preciso reter as pessoas. “Não adianta realizar um trabalho para atrair talentos de fora se eu não fizer um bom dever de casa em desenvolver e reter pessoas. Recrutar líderes de fora representa um alto risco, além de ser mais custoso. Faz muito mais sentido quando uma empresa preenche os cargos de liderança com profissionais internos. Quando você faz o contrário, passa a impressão de que não valoriza quem está dentro. Isso desanima os outros profissionais.

“Temos exemplos de profissionais que começaram conosco como estagiários e agoraestão fazendo carreira. Todos veem que há espaço na casa e por isso podem se reinventar. É uma estratégia inteligente do ponto de vista econômico e cultural”, defende Daniella Gallo, cuja trajetória exemplifica a estratégia bem-sucedida da empresa. A atual diretora de Gente e Gestão entrou como estagiária na empresa anterior, que daria origem à Radix, na década de 1990. Ela explica que a Radix atua em algumas frentes básicas para responder a tais desafios: atração e captação de talentos; fortalecimento das lideranças; e desenvolvimento e fortalecimento da estrutura de operações, otimizando-as. Para a formação de líderes internos, a organização acompanha atentamente a trajetória de cada um dos indicados para cargos de liderança. “Criamos um processo de assessment interno para acompanhar esse pipeline de formação de novos líderes. Acompanhamos a promoção e a indicação do profissional a ser promovido ao cargo de liderança, desde o primeiro momento, quando o profissional deixa de gerenciar a si mesmo e passa a gerenciar a equipe, inclusive no caso do gerente geral”, resume. Após indicar o profissional para assumir o novo cargo de liderança em aberto, o gestor preenche um formulário no qual defende a promoção do funcionário por ele referido. Caso preencha os requisitos que a Radix espera de um líder, ele passa por um alinhamento com os valores da empresa, dentro do chamado job profile, por ser reconhecido pela equipe como referência. O processo envolve uma reunião na qual o líder defende sua escolha e o Gente e Gestão avalia o histórico da evolução desse profissional dentro da Radix, assim como os resultados obtidos por ele e a relação com a equipe. “De acordo com essas informações, validamos a promoção ou não. Se validarmos e vemos que realmente é um profissional aprovado, passamos pela etapa do welcome, ou seja, de boas-vindas a esse profissional. Apresentarmos o novo líder à diretoria e deixamos claro quais são as expectativas e os novos desafios dele como líder”, revela Daniella Gallo. A progressão do Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) faz parte dos processos de formação de lideranças. Na execução do PDI, usa-se a metodologia de aprendizagem 70-20-10, na qual são mapeadas várias ações de ordem prática (70%) ede ordem de relacionamento (20%) e de cursos formais (10%). No PDI, a empresa apoia o profissional em sua nova jornada, que está apenas começando. Afinal, quando ele é promovido para o primeiro estágio de liderança, tem um novo caminho a percorrer, em conjunto com o seu gestor direto. No entanto, também acontecem indicações que não são concretizadas, pois os gestores da Radix, após uma minuciosa análise de informações, podem concluir que tal promoção não é a mais adequada, pelo menos naquele momento. “Às vezes entendermos que o perfil da pessoa é mais técnico, o que também é muito importante na empresa. Da mesma forma, desenvolvemos um PDI para esse profissional e o acompanhamos como liderança técnica. Por estarmos sempre focados no plano de carreira, entendemos que ele precisa de mais um tempo”, explica a diretora. Universidade Radix mantém programas contínuos de capacitação e certificação A Radix desenvolve uma série de projetos para manter o seu ótimo padrão de formação interna de lideranças, como investimento em treinamentos e atividades com o team coaching através de uma consultoria. As soft skills, como são conhecidas as habilidades comportamentais, também constituem o foco de treinamentos voltados para a carreira da pessoa. A Universidade Corporativa, desenvolvida dentro da empresa, chamada Universidade Radix (UR), promove programas de estágio e capacitação contínua por meio do projeto Lifelong Learning. Treinados e estimulados, os colaboradores obtêm certificações em suas áreas de atuação e na área de atuação da empresa. A estratégia da UR é justamente aquela de representar uma educação corporativa consultiva envolvida diretamente no negócio, abrangendo o conceito de desenvolvimento humano da Radix.

RESULTADOS

– Em 2020, a Radix conquistou o primeiro lugar junto ao GPTW (Great Place to Work) entre as melhores empresas do Brasil para se trabalhar. A última vez que essa posição foi conquistada ocorreu em 2010, ano de fundação da empresa. – Mais de 70% dos atuais líderes da Radix foram formados na empresa. – Metade dos atuais líderes começou como estagiário ou júnior na Radix.